sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Viver comigo é uma grande trabalheira. Trago gatos abandonados e pulguentos para casa, não pago multas que vão acumulando e acumulando, deixo roupa espalhada pelo sofá, botas no chão e jazem garrafas de água no carro. É preciso uma grande dose de paciência para aturar as minhas irresponsabilidades e tontices. Na verdade, eu sou muito preguiçosa e o lema amanhã eu faço já faz, há muito, parte da minha vida. Eu sou como aquela mulher muito gorda que decide emagrecer e que coloca na mesinha-de-cabeceira um papel a dizer amanhã começo a dieta. O amanhã chega, ela olha para o papel e pensa, pois é, amanhã. E enquanto o amanhã não chega, nunca chega, ela vai comendo, comendo e engordando, engordando. Bem, talvez eu esteja a engordar as minhas pessoas. A engordar a sua paciência. A minha filha manda-me sms para eu não me esquecer das coisas e o meu marido arruma os meus pensos higiénicos. Pois, eu sei, não é bom. E como não há contratos de promessa de responsabilidade/arrumação, servirá o Barriga de Bolacha para assinalar o fim de tantos anos de infantilidade.

Assim, eu, Bolachas, prometo arrumar toda a roupa que desarrumar, todas as botas que calçar, toda a loiça que sujar. Prometo pagar todas as scuts que passar, todas as multas que apanhar.

30 de Novembro de 2012

Assinatura

Bolachas

2 comentários:

Scarlet Red disse...

Olha que não é fácil... será que existe algum grupo de apoio, tipo desarrumados anónimos?

Bolachas disse...

Acho que não. Eu até fundava um, mas o mais provável era esquecer-me de ir às reuniões.